Amantino Câmara precisa da doação para manutenção do abrigo de idosos

Amantino Câmara precisa da doação para manutenção do abrigo de idosos
Amantino Câmara precisa da doação para manutenção do abrigo de idosos

Por Amina Costa / Repórter do JORNAL DE FATO

O Instituto Amantino Câmara é uma instituição sem fins lucrativos, que abriga idosos que não têm parentes próximos que possam cuidar deles. Para manter as atividades em pleno funcionamento, o Amantino Câmara recorre à sociedade e pede doações de alimentos e itens de higiene pessoal.

Na lista de insumos divulgada pela administração do Amantino Câmara inclui itens considerados urgentes e outros menos urgentes, porém essenciais. Entre os insumos urgentes estão o leite desnatado, leite zero lactose, mucilon de arroz, mucilon de milho e fraldas XG e EG.

Os itens considerados essenciais são, basicamente, em relação à alimentação dos idosos. Na maioria dos casos, a alimentação deles é restrita, levando em consideração a idade avançada e problemas de saúde, como hipertensão e diabetes, que alguns idosos têm. Em relação às fraldas, elas estão sempre na lista de prioridades, por serem muito usadas. De acordo com o Instituto, cada idoso usa, em média, 4 fraldas geriátricas, por dia.

Já a lista de itens não urgentes, mas essenciais, inclui alimentos como arroz integral, arroz da terra, bolacha cream cracker (comum e integral), leite em pó, frutas e verduras. Além dos alimentos, também estão sendo solicitados itens de higiene pessoal, como colônia infantil, sabonete em barra, lenço umedecido, desodorante e shampoo.

O Amantino Câmara solicita também a doação de itens para a limpeza dos ambientes, como desinfetante, esponja de aço, esponja para lavar louças e sabão em pó. As doações podem ser feitas diretamente no local, ou pode ser transferida o valor em dinheiro para a conta do abrigo.

De acordo com as informações repassadas pela assistente social do Amantino Câmara, Rita Lúcia Félix, a pandemia afetou diretamente as receitas da instituição. “A crise econômica provocada pela pandemia afetou todo mundo e com o Instituto não foi diferente. Tivemos quedas consideráveis nas receitas, já que o número de doação diminuiu. Pedimos a ajuda da sociedade porque as nossas receitas atuais não estão sendo suficientes para cobrir a demanda que temos”, comenta.

Atualmente, o Amantino Câmara está abrigando 64 idosos, sendo 38 mulheres e 26 homens. Essa tem sido a capacidade máxima permitida pela vigilância sanitária e pelo Ministério Público, devido à pandemia. “Nós tivemos que diminuir o número de camas, por quarto, para nos adequar às determinações da vigilância sanitária. Inclusive, vale ressaltar que as visitas de familiares e coorporativas estão suspensas, por tempo indeterminado, por se tratar de pessoas do grupo de risco”, comenta a assistente social.

De acordo com as informações da assistente social, o Instituto tem cerca de 35 funcionários que são pagos com as receitas próprias. São profissionais da cozinha, da lavanderia, técnicos de enfermagem e uma enfermeira. O médico geriatra, a assistente social, psicólogo, nutricionista e um profissional administrativo são cedidos pela Prefeitura de Mossoró para atuar no local.

Compartilhe esta postagem:

Publicidade